Branding é a forma como administramos as estratégias da marca. Elas têm que ser coerentes e relevantes para impactar os clientes. O grande objetivo aqui é assegurar que todos os públicos que se relacionam com a marca entendam o posicionamento, propósito e valores. Além é claro de tornar a marca visível e causar interação e engajamentos positivos.

A marca faz parte do branding, ela é a representação visual da empresa, mas também o conjunto de experiências e sentimentos gerados com a sua empresa. É um conjunto de coisas que geram experiências e reforçam o posicionamento da marca.

A construção da marca é feita diariamente através de todas as ações que ela realiza. É uma marca de produtos orgânicos e sustentáveis mas vende produtos embalados em plástico? Não dá! Uma atitude/ato desalinhado da estratégia pode acabar para sempre com a imagem da empresa e a confiança dos clientes. E confiança é o que mantém clientes engajados e interagindo/defendendo marcas.

A estratégia correta de apresentar uma empresa faz toda a diferença para comunicar o que ela faz, e porque é diferente das outras. Não é só colocar uma fonte bonitinha com um desenho qualquer. Cada parte da logo passa um tipo de mensagem e tudo – cores, tipografia, elementos – tem que estar alinhado, pensado para passar o que é desejado para a empresa.

Quanto mais diferente a marca, mais fácil de reconhecer e diferenciar o seu negócio. Mas não é qualquer diferente que serve. Sua marca tem que ser única. Assim como nós somos como pessoas. Ela tem que passar os valores e o propósito da empresa. Adianta fazer uma marca linda e aplicar de forma descuidada, torta, em qualquer lugar? Não. E não estou falando aqui em fazer algo quadrado, rígido. Acredito que a marca é muito mais dos clientes, do que nossa. Porque é a forma como eles interpretam e se relacionam com ela, que dá vida para nossa marca. A questão aqui é que podemos ajudar nesse processo, com técnicas e estudos, para que ela passe o que desejamos que passe.

Tem uma loja virtual? Que elementos podem agregar na experiência? Pode ser um cartão feito à mão, um cheirinho, ou um embrulho diferente. Tudo ajuda a construir e complementar a percepção do cliente. Está nas redes sociais? De verdade ou só abriu um perfil e deixou lá? A marca tem que estar verdadeiramente presente, interagindo, se comunicando, passando informação, gerando conexões.

E como se relacionar em tempos de isolamento social? Sites, whatsapp, redes sociais, telegram. O mundo virtual agora é o mundo onde vivemos. O que se falava e parecia tão distante sobre o omnichannel (integração dos canais de atendimento) está aqui, agora. Parece utópico? Pergunte para uma criança de 12 anos como ela brinca com os amigos hoje e você vai receber a resposta que é através dos jogos. Para eles os jogos são tão brincadeira como pular corda ou andar de bicicleta eram para alguns. Só que tudo acontece no mundo virtual.

Num mundo cada vez mais virtual e polarizado, nossos clientes viram nossos advogados ou nossos haters (às vezes ambos ao mesmo tempo). A sua marca está preparada para esta nova realidade?